Radio online

sábado, 13 de novembro de 2010

Vultos Históricos

ZUMBI
O MÁRTIR E HERÓI PALMARINO
SURGIMENTO E EXTERMÍNIO DO QUILOMBO DOS PALMARES



  O Cenário era uma Mata virgem do século XVI, onde alguns escravos fugitivos de um engenho da Vila de Porto Calvo, refugiaram-se escondendo-se de seus senhores para livrarem-se dos castigos e da forma desumana  e cruel como eram tratados nos engenhos, este local tinha altitude de aproximadamente 535 a 580 metros e o seu clima tropical – chuvoso em uma área de 258 hectares, hoje desapropriada, tornando-se patrimônio HISTÓRICO NACIONAL , chamado “Serra da Barriga”, localiza-se à Oeste da sede municipal, a margem direita do Rio Mundaú, servindo por quase um século de reduto imperial dos negros escravos, dos índios e portugueses fugitivos da Lei e os negro s trazidos do continente africano, através dos tráfegos negreiros, em porões de navios e vendidos em leilões nas capitanias da Bahia e Pernambuco e muitos deles eram exportados para o sul do País.
 
Começa exatamente, neste período e local a história palmarina que teve início e jamais terá fim, simbolizado pelo 1º  Grito de Liberdade que ecoou no Brasil, principalmente nesta pacata cidade de União dos Palmares, terra do Palmarinos: JORGE DE LIMA Príncipe dos Poetas Alagoanos”, da jornalista e historiadora MARIA MARIÁ e do grande mártir e herói Nacional ZUMBI dos Palmares.
 
No ano de 1602, começaram as investidas de combate para exterminar aldeias e mocambos dos escravos fugitivos através do governador da capitania de Pernambuco DIOGO BOTELHO, sob o comando do oficial Português BARTOLOMEU BEZERRA que apesar dos ataques não conseguiu exterminar o maior dos redutos existentes no Brasil “O Quilombo dos Palmares”, com milhares de escravos. Em 1630, com as invasões holandesas no Brasil, o número de escravos fugitivos aumentou devido a preocupação dos portugueses e dos senhores de engenhos com a expulsão dos invasores inclusive alguns, abando nado as suas fazendas, facilitando a fuga dos escravos dos engenhos e senzalas chegando, aproximadamente, a um total, segundo os historiadores, de mais de 20 mil pessoas residentes nos mocambos dos palmares. Em 1655, nasce uma criança do sexo masculino no quilombo dos palmares hoje município de União dos Palmares, sobrevivente de mais um ataque dos brancos, desta feita, comandada por BRAS  CARDOSO, que aprisionou entre os negros uma criança recém-nascida, que foi doada a família Lins, um clã poderoso de Alagoas que tinha financiado aquela expedição para exterminar o Quilombo dos Palmares.
 
O Padre ANTÔNIO MELO, pároco da vila de Porto Calvo, recebeu a criança como presente dos Lins, sendo batizado com o nome de FRANCISCO, cresceu sob os cuidados do religioso e, posteriormente, tornou-se muito inteligente aprendendo português, latim e história da Bíblia. Aos 15 anos de idade, em 1670, ao regressar ao quilombo passou a chamar-se ZUMBI e segundo as tra dições quilombolas ele ganhou uma família  e GANGA-ZUMBA, O “Rei” do império  negro passou a ser o principal de seus tios. Em 1678 o Rei GANGA-ZUMBA assina um tratado de Paz na cidade de Recife sugerido pelas autoridades portuguesas contrariando “ZUMBI”. Em 1680, o guerreiro palmarino, insurgiu contra o seu tio comandando outros chefes de mocambos que revoltados destituiu GANGA-ZUMBA da liderança política e militar do Quilombo dos Palmares e passa a ser o “Rei” depois da morte de GANGA-ZUMBA.
 
            Entre os dias 05 e 06 de fevereiro de 1694, os proprietários de terras, Fernando Bernardo Vieira e Sebastião Dias Mineli, e o Bandeirante, experiente desbravador, DOMINGOS JORGE VELHO, soldados da coroa portuguesa e voluntários oferecidos pelos senhores  de engenhos fortemente armados, inclusive com canhões, atacaram pela última vez o maior reduto da Tróia negra, conseguindo exterminá-lo atacando em três pontos difere ntes de sua lateral ao mesmo tempo e liquidando os seus adversários negros. Porem Zumbi e alguns quilombolas escaparam do massacre sanguinolento que durou vários dias de terror e derramamento de sangue no Quilombo dos Palmares, (SERRA DA BARRIGA), e logo após iniciou a formação de um novo quilombo em seu esconderijo na serra Dois Irmãos, próximo a um sumidouro do rio Paraíba em Viçosa-Alagoas.
 
            Em 20 de novembro de 1695, ZUMBI, o “Rei” do último reduto negro foi encontrado pelos soldados comandado pelo oficial paulista ANDRÉ FURTADO DE MENDONÇA, e isso só aconteceu porque um negro de nome Antônio Soares, foi preso e reconhecido como homem de confiança do Líder palmarino e para não morrer traiu o grande “Rei” , que mesmo assim, após receber algumas punhaladas, lutou até a morte sendo então perfurado por várias balas assassinas dos exterminadores de índios e de escravos e em seguida a sua cabeça foi decapitada (cortada) e levada a Capitania de Pernambuco se ndo exposta ao público no pátio da praça do Carmo em Recife-PE até se decompor. E assim completamos no Dia 20 de novembro de 1995, trezentos anos do líder palmarino – FRANCISCO – ZUMBI DOS PALMARES. Portanto seja qual for a sua cor, raça ou religião, vamos nos abraçar, vamos nos amar porque somos todos irmãos.
 







 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário